Minha vida, meus mortos, meus caminhos tortos.

jun 30, 2014 by

O valor do resgate do nosso passado

João Rego
Recife, 9 de abril de 2011.

Diante da inevitabilidade da morte, enigma que nos situa angustiado frente a vida, o registro do passado nos conforta como uma linha de continuidade da qual fazemos parte. Esta linha nos é passada oralmente, através das histórias que nossos pais, avós e parentes mais velhos nos contam na infância. São palavras que transformadas em significantes nos moldam como sujeito humano. Fundam nossos trilhos desejantes, com os quais iremos caminhar pelo mundo; amando, sofrendo, desejando e aprendendo como é próprio do ser humano.

read more

Related Posts

Tags

Share This