Pages Navigation Menu

DITOS & ESCRITOS

VERDADE E ILUSÃO

Sobre meu texto recente, “ALIENAÇÃO POLÍTICA”, embora muitos se tenham identificado com minha análise, outros, aqueles aferrados à esperança bolsonariana, demonstraram enorme decepção comigo – principalmente amigos e parentes. Para estes, esclareço que, como pensador das coisas do universo da política e dos desejos que constituem e movem os sujeitos, venho, há muito, envolvido com o estudo, a pesquisa e os escritos sobre tais fenômenos.

De tudo que li, senti e aprendi, uma coisa importante foi tentar evitar as paixões, quando da observação desses fenômenos, pois elas distorcem ou negam aquilo que vimos e sentimos, principalmente quando estamos lidando com algo secularmente complexo como é a relação entre a massa e seus líderes.  Assim, desde muito, meu esforço e meu compromisso são com a democracia, não com partidos políticos e seus líderes – embora, como eleitor, eu também os escolha.

Disse aqui que, embora não me identificasse com nenhuma das forças ideológicas extremas – o PT e Bolsonaro – curvava-me à vontade da maioria, pois esta é a regra da democracia, e, mesmo tendo enorme aversão àquelas forças, minha postura é de oposição responsável: elogiando a apoiando aquilo que vejo como certo, e defendendo os valores democráticos universais já conquistados.

Portanto, aqueles que se sentiram frustrados e ofendidos – embora minha intenção não tenha sido a de ofender ninguém, apenas compreender a verdade efetiva das coisas – desarmem-se e me releiam com atenção, pois talvez possam extrair algo dessas reflexões, principalmente – e isso talvez seja doloroso para alguns – a desconstrução da paixão política, fardo limitante, danoso e pesado para um cidadão em uma democracia.

Outra opção, embora eu a lamente, é “descurtirem” minha página, e seguirem seus caminhos.  Continuaremos amigos e parentes, trafegando nos percursos da vida.

Dante, nos portões do inferno, cunhou a famosa frase “Deixai toda esperança, ó vós que entrais!”. Minhas reflexões estão longe de querer destruir esperanças, quero apenas ajudar a fortalecê-las, em bases minimamente sustentáveis. É este o papel do conhecimento.

Recife, 20 de fevereiro de 2019.

João Rego
Ditos & Escritos
É engenheiro, consultor, mestre em ciência política com formação em psicanálise.
www.joaorego.com
www.facebook.com/politica.psicanalise

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This