Introdução ao Grupo País de Caruaru

jul 8, 2014 by

João Rego. Junho de 2014

Sejam bem vindos ao Grupo País de Caruaru!

É um grupo criado no Facebook e formado por caruaruenses de várias gerações, lá pelos anos 60, que hoje vivem em outras terras e desejam, com certa nostalgia, resgatar estórias, causos e fatos&fotos daquela época.

Por que criar este Grupo?

Saí aos treze anos de Caruaru em decorrência da morte prematura do meu pai (Maurílio Rego, Seu Lila) aos 45 anos. Teresa Rego, minha mãe decidiu mudar para Recife sabendo que havia mais possibilidades de educação e formação profissional para todos nós quatro; eu, o mais velho com 13 anos, seguido por Mônica, Jacqueline e Luciano com 3 anos.
Fomos tangidos pela morte e, quais retirantes de uma seca, sem tempo para despedidas, deixando apenas um passado de lembranças esgarçadas para trás.

Agora, perto de fazer sessenta anos, tento com esta escrita recompor algo que ficou perdido no passado, sem pretensões literárias, mas com um esforço proustiano de reconstruir o universo afetivo de uma infância interrompida.

Com o Grupo País de Caruaru começa a se estabelecer uma rica troca (virtual, porém efetiva), de lembranças de outros que viveram na mesma época. Começam a fluir diálogos, reencontros emocionados de pessoas há muito separadas pelo tempo e seus destinos; uma simples foto é capaz de explodir em muitas recordações evocando um passado que, pela sua própria natureza acabou (a de passar), mas todos carregamos seus ecos dentro de nós.

Somos constituídos dele.

Advertência àqueles que querem utilizar o Grupo para fazer negócio!

Lembro a todos do Grupo que a Caruaru que estamos resgatando não existe mais, exceto dentro de nós. Pouca relação tem com a Caruaru de hoje soterrada pelo progresso —nada contra—, mas as substâncias que forjam o País de Caruaru não é o asfalto das ruas, nem os tijolos das residências e praças. Nossa Caruaru está sendo reconstruída pelo grupo, essencialmente, com nossas memórias que, aos poucos, vamos destilando em forma de texto, emoção, fotos antigas e reencontros valiosos. Assim, quem quiser vender algo tem que ser o puxa-puxa daquele menino que vinha da Rua Preta; ou aquele raspa-raspa de dois sabores: coco e morango, que de morango não tinha nada; ou ainda o suspiro; ou o bolo da bacia da venda de João Bafo de Onça, assinando na caderneta; ou o pirulito de mel de açúcar enfiado em uma tábua cheia de furos (tinha mais furos que tábua de pirulito!); Vale também ingressos para o Cinema Santino e o Santa Rosa para assistirmos Tarzan com aquele grito extraordinário e fumar (cof,cof,cof) nosso primeiro cigarro escondido. Tudo novinho em folha!

João Rego.

Para acessar 0 Grupo clique no link Grupo País de Caruaru

DITOS & ESCRITOS
João Rego
joaorego.com

إيروس وثانتوس

 

Related Posts

Share This

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *