Quem tem medo de Yoani Sanchez?

abr 29, 2012 by

*João Rego

O perigo das ideologias anacrônicas é sua fragilidade diante da realidade que insiste em desobedecê-las. Tem sido sempre assim, qualquer força política, ao longo da história, se expressa, define suas estratégias e ações impreterivelmente com base em uma ideologia. Disso ninguém escapa. O problema é a certeza cega, religiosa que certas ideologias carregam em seu bojo. Aí reside um grande obstáculo que é a incessante mutação da realidade social, política e econômica.

Ninguém melhor que o próprio Marx identificou isso “Tudo que é sólido se desmancha no ar!” O caso dessas esquerdas – e, pasmem, me considero de esquerda, ou pelo menos progressista -, é que sofrem de uma incurável anorexia intelectual, e por conta disso, fixam-se em uma visão de mundo estreita e aprisionada ao passado. E bote passado nisso, lá pelos anos 1917 do Século XX.

Por essa limitação não perceberam que com o fim da experiência da União Soviética, cujo símbolo foi a queda do Muro de Berlim, a democracia se impôs como um valor universal. Tudo, qualquer que seja a ideologia, tem que partir necessariamente desta base histórica, a não ser que queira repetir-se como farsa (Marx, novamente).

Cuba e seu regime anacrônico e frágil – desconfio que os EUA só não desbloqueiam as barreiras econômicas porque usam Cuba como objeto político para ganhar votos na Flórida – para estes setores servem de suportes imaginários para garantirem suas fixações ideológicas.

Tudo que ameaça suas certezas religiosas gera a angústia, o terror. Foi assim com a Santa Inquisição com o fenômeno da histeria nas mulheres, foi assim com o Nazismo e suas certezas de superioridade da raça ariana com os judeus, ciganos e homossexuais, e é assim com a Igreja católica, que como “excelente mecanismo de defesa” instituiu a “Infabilidade Papal”.

A reação desproporcional e patética destes setores da esquerda diante de Yoani Sanchez expõe apenas seus medos e suas inadequações aos novos tempos democráticos. Como dizem, fazem parte do “lixo da história”.

***

DITOS & ESCRITOS
João Rego
joaorego.com

إيروس وثانتوس

 

 

Related Posts

Share This